Notícias

NOTICIA

2020 Ano centenário olímpico brasileiro

publicado: 29/10/2019 15h42, última modificação: 02/12/2019 18h47
Audiência pública analisa projeto que institui 2020 como o ano do centenário olímpico brasileiro

Representantes da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania e do Comitê Olímpico do Brasil (COB) participaram, nesta quinta-feira (24.10), no Senado Federal, de uma audiência pública destinada a analisar o Projeto de Lei nº 5.183, de 2019, que institui o ano de 2020 como o Ano da Participação Olímpica Brasileira, em alusão ao centenário da primeira participação do país nas Olimpíadas. A proposta da PL é de autoria dos senadores Leila Barros (PSB-DF) e Espiridião Amim (PP-SC).

O secretário especial adjunto do Esporte, Marco Aurélio Araújo; o secretário nacional de Esporte de Alto Rendimento, Emanuel Rêgo; a secretária nacional da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem, Luisa Parente; e o presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Paulo Walderley Teixeira; além da senadora Leila Barros, compuseram a mesa.

Cada um ressaltou um aspecto relacionado à importância do esporte para uma sociedade, destacando os benefícios sociais, educacionais, de formação de cidadania e de orgulho a uma nação que a prática esportiva, seja ela educacional, de participação ou do alto rendimento, é capaz de proporcionar. Além deles, o diretor-geral do COB, Rogério Sampaio, campeão olímpico de judô em 1992, em Barcelona, também participou da mesa, quando conduziu uma apresentação sobre a instituição que representa.

A primeira participação brasileira nos Jogos foi em 1920, na Antuérpia. Naquela edição, Guilherme Paraense tornou-se o primeiro campeão olímpico do Brasil ao conquistar a medalha de ouro no tiro esportivo. Na Antuérpia, o Brasil conquistou ainda outras duas medalhas, uma de prata, com Afrânio Antônio da Costa, na pistola livre individual; e uma de bronze, com o time formado por Afrânio Antônio da Costa, Dario Barbosa, Fernando Soledade, Guilherme Paraense e Sebastião Wolf, na pistola livre por equipe.

A ideia da PL é transformar o ano de 2020 em um período repleto de ações ligadas ao esporte, não só olímpico, mas em outras frentes, de modo a ressaltar o papel transformador que essa ferramenta pode assumir no Brasil.

Entre os objetivos sugeridos pelos representantes da Secretaria Especial do Esporte estão:

- Valorizar o esporte nacional e disseminar a prática esportiva;
- Destacar que o esporte contribui para o desenvolvimento da cidadania;
- Apresentar o esportista como um modelo exemplo de transformação social a ser seguido;
- Impulsionar o esporte como ferramenta de construção de valores;
- Identificar possíveis ações para a aplicação e a ampliação das políticas públicas para o esporte;
- Combater o sedentarismo.

Para atingir os objetivos, a Secretaria Especial sugeriu durante a audiência pública diversas ações para 2020, como a criação de uma logomarca para o centenário olímpico do Brasil; a emissão de selos, moedas e medalhas comemorativas; o incentivo a eventos, palestras e seminários; uma maior articulação com entidades esportivas para todos os setores esportivos no país possam estar envolvidos no centenário olímpico; e o lançamento de um almanaque da história dos 100 anos da caminhada olímpica do Brasil.

“A minha avaliação desta audiência é muito positiva”, afirmou o secretário Marco Aurélio Araújo. “Existe uma sinergia muito boa entre o legislativo, entre o Comitê Olímpico do Brasil e nós, da Secretaria Especial do Esporte, com a sociedade em geral. Essa audiência foi um grande incentivo para que a gente continue desenvolvendo as políticas públicas para o esporte da melhor maneira possível”, continuou.

Para a senadora Leila Barros, um momento tão marcante do país não poderia passar sem que uma série de homenagens fossem feitas. Para ela, a proposta do projeto de lei só trará benefícios. “Eu trabalhei com a minha consultoria legislativa, apresentei o projeto e o Senado inteiro abraçou. Todos sabemos a importância de um centenário como esse. Você ter um ano inteiro para celebrar esse centenário olímpico é uma forma da gente despertar o brasileiro. Será importante para relembrar nossos heróis e, acima de tudo, para estimular mais ainda a prática esportiva no nosso país e colocar em nossos jovens, tanto naqueles que estão começando como em todos os outros, o espírito olímpico, porque ele é maravilhoso”, ressaltou Leila Barros, dona de duas medalha de bronze nas Olimpíadas, conquistadas nas edições de Atlanta 1996 e Sidney 2000.

“Essa é uma oportunidade de abrir para a comunidade como um todo o esporte olímpico. Nesse processo temos o parlamento, as confederações, o Ministério da Cidadania, as Forças Armadas, as comissões de atletas, a sociedade civil, enfim, todos nós imbuídos no mesmo sentimento, que é o esporte no Brasil”, reforçou Paulo Wanderley.

“Essa ação da senadora Leila e do senador Espiridião Amim é sensacional, porque é um momento ímpar que teremos em 2020. Vamos celebrar nossa primeira medalha de ouro, nosso centenário olímpico e tudo isso coincidindo com mais uma participação do Brasil nas Olimpíadas. Acho que essa audiência serviu como um congraçamento perfeito entre todos os que se envolvem com o esporte no Brasil”, prosseguiu o presidente do COB.

“Foi um momento muito especial entre o legislativo, o executivo e o COB, pensando sempre no futuro do esporte. Todos deram suas contribuições e acredito que esse movimento será importante para a gente organizar em 2020 várias ações em todas as frentes que o esporte pode atuar, no lado educacional, de formação e de alto rendimento, de modo que a gente possa fomentar o que o Brasil tem de melhor, que é sua vocação para o esporte”, encerrou Emanuel Rêgo, campeão olímpico no vôlei de praia nos Jogos de Atenas, em 2004.

Luiz Roberto Magalhães – Ascom – Ministério da Cidadania