Notícias

Desporto Escolar

Brasil apresenta Fortaleza como sede dos Jogos Sul-Americanos Escolares, em dezembro

publicado: 18/02/2020 15h42, última modificação: 27/02/2020 14h03
Será a quarta vez que o país recebe a competição. Assembleia do Conselho Sul-Americano de Esporte (Consude) foi realizada na cidade de Salinas, no Equador

Em dezembro do ano passado, após a realização dos Jogos Sul-Americanos Escolares em Assunção, no Paraguai, o Brasil recebeu a bandeira do Conselho Sul-Americano de Esporte (Consude) com a missão de sediar a próxima edição do evento. Nesta terça-feira (18.02), durante assembleia do Consude em Salinas, no Equador, o secretário especial adjunto do Esporte do Ministério da Cidadania, Marco Aurélio Araújo, anunciou a cidade de Fortaleza (CE) como sede da competição no fim de 2020.

 

 

“Dentro da política do governo de levarmos grandes eventos para outras partes do país, principalmente ao Nordeste, Fortaleza veio como a número um. É uma cidade linda e com ótima estrutura. E temos Brasília como Plano B, caso necessário”, explicou Araújo. “As duas cidades têm um índice muito bom de estrutura desportiva, aérea e de hospedagem”, acrescentou, apresentando ainda características como clima e população como vantagens das capitais.

 

A expectativa é receber cerca de 1.500 atletas, com idades entre 12 e 14 anos, para a disputa de 11 modalidades, em dezembro. Esta será a quarta vez dos Jogos Sul-Americanos Escolares no Brasil. Em 1991, o país recebeu a primeira edição do evento, em Maringá (PR). Já em 2012, Natal (RN) sediou a 18ª edição. Dois anos depois, foi a vez de Aracaju (SE). Na ocasião, 1.800 atletas de 11 países participaram do torneio continental. “Depois de participar de um evento tão bem conduzido no Paraguai, sabemos que a nossa responsabilidade é muito grande”, comentou o secretário adjunto.

 

Consude
Representantes dos países sul-americanos no Consude. Foto: Ana Felizola/ Ministério da Cidadania
 

 

“O esporte é uma ferramenta muito importante para a inclusão social e o desenvolvimento dos nossos povos e da nossa sociedade. O Brasil tem o legado de uma infraestrutura muito boa em função de tudo que sediamos nos últimos anos. Isso nos dá tranquilidade para assumir um compromisso tão importante”, afirmou Araújo. “Aproveito para convidar e incentivar que todos participemos desse grande evento no Brasil, em dezembro deste ano”, completou.

 

Para o presidente da Confederação Brasileira de Desporto Escolar (CBDE), Antônio Hora, a proposta do Brasil foi bem recebida. “Ficou claro aqui que os países gostam de conhecer o Brasil. As crianças que estudam nesses países têm o sonho de, além de praticar esporte, conhecer o mundo. Dentro do nosso continente, o Brasil é um dos principais pontos de realização desse sonho”, destacou. “Poucos países na história conseguiram realizar tantos eventos na mesma década. Agora, com toda a expertise que o Brasil tem, é fazer com que os países sul-americanos sejam recebidos em Fortaleza como se estivessem em casa”, ponderou.

 

Consude
Robson Aguiar, vice-presidente da CBDE, Marco Aurélio Araújo, Sec. Adjunto da Secretaria Especial do Esporte, Carlos Lombardi, coordenador-geral de Esporte-Educação da Snelis, Antônio Hora, presidente da CBDE. Foto: Ana Felizola / Ascom Ministério da Cidadania

 

Na edição do ano passado, em Assunção, os 168 atletas brasileiros conquistaram o resultado recorde de 103 medalhas, sendo 52 de ouro, 28 de prata e 23 de bronze. Foi o melhor desempenho do país na história dos Jogos, superando a edição de Aracaju, quando subiu ao pódio 87 vezes. A participação do Brasil no Paraguai contou com um convênio entre a Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania e a CBDE, no valor de R$ 1,8 milhão.

 

“Agradecemos a todos os países que estiveram presentes em Assunção. Nessa edição tivemos 10 países e, por uma semana, os jovens competiram e compartilharam espaços, fortalecendo laços de amizade e o intercâmbio cultural”, afirmou a ministra da Secretaria Nacional de Esportes do Paraguai, Fatima Morales, entregando um livro sobre a o evento de 2019 aos presentes.

 

“O Brasil vem de um grande ciclo de eventos e com certeza fará excelentes Jogos Sul-Americanos”, comentou o secretário nacional de Esporte do Uruguai, Fernando Andrés.

 

Também participaram da reunião representes de Bolívia, Argentina, Chile, Equador, Venezuela, Colômbia e Suriname. O Consude é uma organização intergovernamental que visa ao desenvolvimento da atividade física e do desporto nos países da América do Sul. Todos os anos, os Jogos Sul-Americanos Escolares são realizados com o intuito de contribuir com o desenvolvimento esportivo, cultural e de intercâmbio entre os estudantes.

Por Ana Cláudia Felizola, de Salinas (Equador)

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cidadania
(61) 3217.1875
www.esporte.gov.br/imprensa