Notícias

Mundial Militar de Judô

Brasil conquista dois ouros por equipes no Mundial Militar de Judô no Rio de Janeiro

publicado: 09/11/2018 00h00, última modificação: 16/01/2020 11h17
IMG_1834.jpg

Mesmo com adversários de altíssimo nível, as equipes feminina e masculina do Brasil não brincaram em serviço nesta quinta-feira (8.11) e conquistaram os títulos no primeiro dia de disputas do 38º Campeonato Mundial Militar de Judô, disputado no Centro de Educação Física Almirante Adalberto Nunes (Cefan), no Rio de Janeiro. Mas não foi fácil. Tanto na final feminina quanto na masculina, com cinco lutas cada, a vitória só chegou no último embate.

 

Depois de passar pela Sérvia, China e Rússia, a equipe feminina encarou a França na final. Na primeira luta da disputa pelo ouro, Jéssica Pereira (52kg) venceu Marine Lhenry por waza-ari. Na segunda briga, foi a vez da campeã olímpica Rafaela Silva (57kg) carimbar o segundo ponto com um ippon sobre Helene Receveaux. Mas em seguida, a tricampeã mundial e medalha de prata nos Jogos Rio 2016, Clarisse Agbegenenou, diminuiu a diferença com vitória sobre Alexia Castilhos (63 kg). Na quarta luta, Marie-Ève Gahié empatou a disputa com um ippon sobre a brasileira Ellen Santana (70 kg).

 

A missão final ficou nas mãos da veterana Maria Suelen Altheman (+70kg), que respirou fundo e encarou a francesa Júlia Tolofua. A brasileira forçou três punições na adversária e garantiu mais um título mundial por equipes para o Brasil com placar final de 3 a 2. A judoca, que está há 10 anos na seleção brasileira de judô, ressalta que em toda disputa o atleta tem que estar preparado para qualquer desafio. "O campeonato por equipe é coração. Se uma companheira não conseguir vencer, a outra segura as pontas, e assim por diante. Eu sabia que tinha que ganhar de qualquer jeito. Deu tudo certo e mantivemos a tradição de campeãs mundiais militares. Não lutei só por mim, mas por todas. É a minha terceira vitória por equipes nesse campeonato e fiquei muito feliz", comemorou.

 

Antes de encarar a Rússia, a equipe masculina do Brasil eliminou a China, a Sérvia e a França. Na decisão final, o primeiro a subir nos tatames foi David Moura (+90), que pela primeira vez compete um mundial militar de judô, mas perdeu a luta com um waza-ari de Tamerian Bashaev. Logo depois, o empate brasileiro veio com um ippon de Charles Chibana (66Kg) sobre Alim Balkarov, mas o russo Georgil Elbakiev virou o jogo ao derrotar Marcelo Contini (73Kg). Na quarta luta, Eduardo Yudy (81kg) empatou novamente com dois waza-ari (ippon) sobre Georgil Elbakiev.

 

Mais uma vez a torcida teve que esperar a última luta para soltar o grito de ouro. A responsabilidade ficou para o brasileiro Eduardo Bettoni (90kg) que deu trabalho para o adversário Mikhail Igolniknov e venceu a luta forçando três punições contra o russo. "Montamos uma estratégia para lutar contra Mikhail, que é novo no cenário internacional, mas está muito bem ranqueado. Sabia que ele era um competidor muito duro, já havia treinado com ele antes, e foi preciso buscar uma estratégia bem tática. Durante a luta, quando eu percebi que ele estava cansado, me senti com mais vontade ainda de vencer. Sabia que seria difícil porque ele é um atleta muito técnico, por isso foi preciso partir para outra maneira de ganhar dele, que foi a falta", finalizou.

 

IMG_1854.jpg

Mundial Militar


As disputas individuais serão disputadas nesta sexta-feira (9.11) e no sábado (10.11). Nesta edição do campeonato, participam 150 judocas de 18 países: Brasil, Rússia, China, França, Sérvia, Polônia, Myanmar, Arábia Saudita, Chile, Cazaquistão, Catar, Síria, Ucrânia, Tunísia, Kuwait, Burquina Faso, Holanda e Eslovênia. Representam o Brasil 18 judocas, nove homens e nove mulheres, que fazem parte do Programa de Incorporação de Atletas de Alto Rendimento às Forças Armadas Brasileiras (Paar) do Ministério da Defesa (MD). O torneio faz parte do calendário do Conselho Internacional do Esporte Militar (CISM), é organizada pela Marinha do Brasil (MB) e realizada no Cefan sob a coordenação dos ministérios da Defesa e do Esporte do Brasil. O suporte técnico ao evento fica a cargo da Confederação Brasileira de Judô (CBJ) e da Federação de Judô do Estado do Rio de Janeiro (FJERJ).

 

Atletas brasileiros:

 

Seleção Masculina
60kg - 3º Sgt Eric Takabatake
66kg - 3º SG Daniel Cargnin
66kg - 3º Sgt Charles Chibana
73kg - 3º Sgt Marcelo Contini
81kg - 3º Sgt Eduardo Yudy Santos
90kg - 3º Sgt Rafael Macedo
90kg - 3º Sgt Eduardo Bettoni
100kg - 3º Sgt Leonardo Gonçalves
+100kg - 3º Sgt David Moura

Seleção Feminina
48kg - 3º Sgt Gabriela Chibana
52kg - 3º Sgt Jéssica Pereira
57kg - 3º SG Rafaela Silva
57kg - 3º SG Tamires Crude
63kg - 3º Sgt Alexia Castilhos
63kg - 3º SG Yanka Pascoalino
70kg - 3º Sgt Ellen Santana
78kg - 3º Sgt Samanta Soares
+78kg - 3º SG Maria Suelen Altheman

 

PROGRAMAÇÃO:

Sexta-feira (9.11)
Competições individuais (48kg, 52kg, 57kg, 60kg, 66kg e 73kg)
10h - Preliminares
15h – Finais

Sábado (10.11)
Competições individuais (63kg, 70kg, 78kg e +78kg, 81kg, 90kg, 100kg e +100kg)
10h - Preliminares
16h30 – Finais

As lutas são transmitidas ao vivo no portal oficial do evento: http://38wjmc.com

 

Cristiane Rosa, do Rio de Janeiro
Ascom - Ministério do Esporte