Notícias

NOTÍCIAS

Brasil será a sede dos Jogos Desportivos da CPLP em 2022

publicado: 24/07/2019 19h42, última modificação: 02/12/2019 18h48

Ministros e secretários de Esporte e Juventude da CPLP na reunião final de conferência em Angola - Foto: Paulo Rossi/Ministério da Cidadania

Timor Leste, no ano que vem, e Brasil, em 2022, serão as próximas sedes dos Jogos Desportivos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). A confirmação do país do Sudeste Asiático e a escolha da única nação lusófona das Américas foram anunciadas nesta quarta-feira (24.07), durante a reunião de encerramento da 12ª Conferência dos Ministros da Juventude e Desporto da CPLP, em Luanda.

O secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Décio Brasil, que representou o Brasil na conferência, ao lado da secretária nacional da Juventude do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Jayana Nicaretta, definiu que o país ajudará também na preparação dos Jogos do Timor Leste, previstos para julho de 2020. Ele indicará um técnico da secretaria para fazer parte da comissão organizadora da competição, que reunirá atletas sub-17 de atletismo, atletismo paralímpico, basquete 3x3, futebol, taekwondo, vôlei de praia, caratê, xadrez e tênis.

Rio de Janeiro, Fortaleza e uma sede dupla, com as cidades de Maceió e Aracaju, surgem como postulantes iniciais para sediar os Jogos da CPLP em 2022. “Temos o legado olímpico do Parque da Barra, no Rio de Janeiro, e do Centro de Formação Olímpica e Paralímpica, em Fortaleza, com estruturas ideais para eventos multiesportivos. Maceió e Aracaju, conjuntamente, também garantem a realização. O Brasil tem todas as condições para organizar os Jogos com sucesso”, avaliou o secretário Décio Brasil.

Uma das 24 resoluções da Declaração Final assinada nesta quarta em Angola confirma a realização da 13ª edição dos Jogos Desportivos da CPLP no Brasil, em 2022. A 12ª edição, prevista para o período de 14 a 24 de julho de 2020, em Díli, capital do Timor-Leste, ainda pode sofrer alteração de calendário. Países como Portugal, Moçambique e Brasil alertaram, durante a conferência em Luanda, que as datas são muito próximas aos Jogos Olímpicos de Tóquio. O encerramento dos Jogos da CPLP e a abertura das Olimpíadas coincidem: 24 de julho.

Entre as resoluções aprovadas na Declaração Final de Luanda, estão a renovação do Acordo de Cooperação da Conferência de Ministros da Juventude e Desporto e a criação do Parlamento Juvenil da CPLP, que será realizado nos dias 21 e 22 de novembro, em São Tomé e Príncipe, com a participação de três jovens, entre 15 e 17 anos, de cada um dos nove países-membros – Brasil, Portugal, Angola, Moçambique, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Em seu discurso durante a reunião de encerramento, a ministra angolana para a Área Social, Carolina Cerqueira, chamou a atenção para as altas taxas de desemprego entre os jovens em Angola e outros países da CPLP – citou Moçambique, Cabo Verde, Brasil e São Tomé e Príncipe. “Os jovens são os que mais sofrem com a crise econômica que vivemos em Angola nos últimos cinco anos. Precisamos de políticas sociais, entre elas as ferramentas do esporte, para que as pessoas tenham no horizonte um futuro melhor.” O secretário executivo da CPLP, Manuel Lapão, também participou da plenária final.

Embaixador Paulino Neto, secretária nacional da Juventude, Jayana Nicaretta, e secretário especial do Esporte, Décio Brasil, na Bienal de Jovens Criadores da CPLP - Foto: Paulo Rossi/Ministério da CidadaniaEmbaixador Paulino Neto, secretária nacional da Juventude, Jayana Nicaretta, e secretário especial do Esporte, Décio Brasil, na Bienal de Jovens Criadores da CPLP - Foto: Paulo Rossi/Ministério da Cidadania

Bienal de Jovens Criadores
Após o encerramento da conferência, realizada no Hotel Epic Sana, no centro de Luanda, os ministros e secretários de Esporte e Juventude se dirigiram à histórica Fortaleza de São Miguel para participar da abertura da 9ª Bienal de Jovens Criadores da CPLP. Artistas lusófonos de até 30 anos de idade, das mais variadas manifestações culturais, mostram sua arte até domingo (28.07) na estrutura montada dentro da construção militar.

A Embaixada do Brasil em Luanda montou um estande na Bienal. A exposição foi oficialmente inaugurada pelo ministro da Casa Civil de Angola, Frederico Cardoso. A próxima edição está marcada para Cabo Verde, em 2021.

Paulo Rossi – Ministério da Cidadania, de Luanda