Notícias

Brincando com Esporte gera novas experiências para professores de educação física

publicado: 25/01/2018 00h00, última modificação: 04/02/2020 12h26
Moisés no núcleo de Acarape: "contato direto com a comunidade". Fotos: Guilherme Rocha/ME

As atividades do programa Brincando com Esporte estão movimentando as férias de crianças e jovens em vários cantos do país. Além de proporcionar diversão e lazer, a ação é uma oportunidade também para professores de educação física. Eles desenvolvem habilidades voltadas para inclusão social por meio do esporte e estreitam laços com a juventude local.


"Aqui há um contato direto com a comunidade que eu não conhecia", afirmou Moisés Silva Costa, de 27 anos, coordenador do núcleo de Acarape, no interior do Ceará. O professor já trabalhou em outros dois programas do Ministério do Esporte: Segundo Tempo e Esporte e Lazer da Cidade (PELC). Nas oportunidades anteriores, trabalhou no município de Pacatuba, a cerca de 48 km do núcleo do Brincando com Esporte em Acarape.

 

"Mesmo tendo trabalhado em dois outros projetos do Ministério do Esporte, agora está sendo um grande aprendizado. O Segundo Tempo é associado à escola. O PELC não tem faixa etária definida. Já o Brincando com Esporte tem um público determinado, até os 17 anos".

 

O coordenador destaca o envolvimento dos pais dos alunos desde o início das atividades, em 15 de janeiro. Segundo Moisés, muitos dos atendidos gostam tanto que querem participar tanto no período da manhã quanto da tarde. "A gente pega o gancho dos relatos que escutamos durante a entrega dos uniformes. As mães deixaram claro que nesse período de ociosidade, o projeto tem o poder de tirar as crianças das ruas, além de envolver socialmente muitos jovens que são tímidos", disse.

 

Desenvolvido pelo Ministério do Esporte, o Brincando com Esporte oferece opções de esporte e lazer que preencham o tempo livre de crianças e adolescentes no período de férias escolares. Nas aulas, eles contam com atividades físicas em diferentes modalidades, além de ações com viés cultural e artístico, como dança e teatro.

 

Localizado a cerca de 60 km da capital do Ceará, Acarape reúne em torno de 16 mil habitantes, mas, mesmo sendo pequena, sofre com o problema de criminalidade, como nos grandes centros urbanos. Assim, o projeto cumpre adicionalmente um papel de distanciar os jovens de influências negativas. "É uma ferramenta importante para a mudança dos jovens. É uma pena que um programa tão rico seja somente no período das férias. Gostaríamos que fosse estendido para mais meses do ano", disse Moisés.

 

Em Acarape, os alunos têm a oportunidade de brincar de futsal, basquete, handebol, vôlei, aulas de arte, pintura, caratê, jogos lúdicos e de tabuleiro. Além do coordenador, o núcleo conta com o apoio de cinco monitores e dois auxiliares.

 

"Os alunos gostam muito da organização das atividades, que envolvem uniforme, alimentação e ações lúdicas. Temos ainda o passeio, que motiva muito os jovens. Aqui, tem a dificuldade de ser uma cidade pequena e não tem diversidade de atrações. Estamos programando para eles conhecerem o Zoológico de Fortaleza, o Pico Alto (na Serra de Baturité) e a Arena Castelão, estádio da Copa do Mundo", revelou.

 

As atividades do Brincando com Esporte no Ceará tiveram início na última segunda-feira (15.01). A ação é realizada por meio da Secretaria de Esporte do Ceará (Sesporte) e promove as atividades em 13 municípios, com núcleos em Acarape, Crateús, Eusébio, Iguatu, Ipu, Itapipoca, Itarema, Fortaleza, Juazeiro do Norte, Morada Nova, Quixeramobim, Sobral e Tauá.

 

A previsão é de que cerca de 1,3 mil jovens sejam atendidos no Ceará em janeiro de 2018. O Brincando com Esporte conta com cerca de 110 profissionais trabalhando no estado, entre coordenadores de polo, agentes recreativos e auxiliares recreativos.

 

 

De Acarape (CE), Breno Barros