Notícias

Paralimpíadas Escolares 2019

Campeão mundial de surfe adaptado estreia com ouro na natação nas Paralimpíadas Escolares

publicado: 21/11/2019 20h09, última modificação: 18/12/2019 11h50

A 13ª edição das Paralimpíadas Escolares Loterias Caixa marca a estreia de Davi Teixeira, campeão mundial de surfe adaptado em 2016, em competições paralímpicas de natação. O carioca de 14 anos faturou uma medalha de ouro nos 50m costas, na classe S3, nas disputas no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo, que seguem até esta sexta-feira, 22.11.

 

21112019_natacao-700x395.jpeg
Foto: Rogério Santana/Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude do Rio de Janeiro

 

Davi deu início à sua trajetória no esporte aos oito anos, no surfe adaptado. Alguns anos mais tarde, sagraria-se campeão mundial em La Jolla, nos Estados Unidos. Acometido por uma síndrome da banda amniótica, rara patologia que afetou o desenvolvimento de seus membros inferiores e superiores, ele só conheceu o movimento paralímpico neste ano. Passou a treinar no Vasco da Gama, no Rio de Janeiro, com a intenção de participar de competições.

 

Não esqueceu-se da antiga modalidade, contudo. No surfe, teve o privilégio de conhecer e ser "apadrinhado" por grandes nomes, como Gabriel Medina, Filipe Toledo e Ítalo Ferreira, que atualmente lutam pelo título mundial de 2019. "Hoje, para mim, é mais fácil competir no surfe, para o qual treino há mais tempo, mas estou me dedicando à natação para melhorar mais. Ter essa relação com eles é irado, porque são meus ídolos e já treinaram comigo", comentou o jovem.

 

Nas Escolares, sua medalha dourada veio na manhã da quarta-feira. "Essa é minha primeira competição pela natação e estou muito empolgado, pois já ganhei uma medalha de ouro e quero mais. Nadar costas sempre foi difícil para mim porque quando estava aprendendo o nado eu batia na borda, mas aqui na competição tive que deixar o medo de lado e dar tudo de mim".

 

Paralimpíadas Escolares 2019

 

As Paralimpíadas Escolares são consideradas o maior do mundo para pessoas com deficiência em idade escolar. Neste ano serão ofertadas 12 modalidades: atletismo, basquete em cadeira de rodas (formato 3x3), bocha, futebol de 5 (para cegos), futebol de 7 (para paralisados cerebrais), goalball, judô, natação, parabadminton, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado. A faixa etária contemplada para as disputas é de 12 a 17 anos.

 

Cerca de 1.220 atletas participam do evento, vindas de 26 estados e do Distrito Federal. A unidade da federação com o maior número de inscritos é São Paulo, com 128 atletas. O Estado é o mais vitorioso da competição, com sete títulos no total: 2006, 2009, 2011, 2015, 2016, 2017 e 2018.

 

z20112019_infografico-700x990.jpg

 

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB)