Notícias

NOTÍCIAS

COB reforça objetivos do Brasil nos Jogos Pan-Americanos Lima 2019

publicado: 25/07/2019 16h51, última modificação: 02/12/2019 18h48

Durante encontro com jornalistas nesta quinta-feira (25.07) em Lima, no Peru, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) reafirmou as metas da delegação durante os Jogos Pan-Americanos. O objetivo principal é que, entre as 22 modalidades que distribuirão vagas ou pontos no ranking para Tóquio 2020, o Brasil consiga assegurar o maior número possível de classificados para os Jogos Olímpicos. Além disso, os 485 representantes nacionais terão a incumbência de melhorar a participação do país em relação às edições anteriores do Pan.

Jorge Bichara, diretor de esportes do COB e vice-chefe da missão brasileira no Pan. Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

Em Toronto 2015, a equipe brasileira subiu ao pódio 141 vezes, com a conquista de 42 medalhas de ouro. Até hoje, a melhor participação do país foi em casa, no Rio 2007, quando o Brasil faturou 157 medalhas, sendo 52 de ouro. Desde então, figura sempre na terceira colocação do quadro geral de medalhas.

» Acompanhe a cobertura completa dos Jogos Pan-Americanos Lima 2019 na Rede do Esporte

“Nossas expectativas são boas em relação a uma boa participação do Brasil na competição. Temos nossos adversários tradicionais, como Estados Unidos, Cuba, Canadá, México e Argentina. A Colômbia também vem crescendo. Entendemos que será uma edição de Pan com nível técnico bastante elevado. Isso é interessante para, em ano pré-olímpico e de calendário apertado de competições, avaliarmos nosso nível técnico”, ponderou Jorge Bichara, diretor de esportes do COB e vice-chefe da missão brasileira no Peru.

A evolução colombiana no torneio continental é vista com atenção. Em Santo Domingo 2003, o país levou 43 medalhas, sendo 11 de ouro. Quatro anos depois, ampliou as conquistas para 47 no total e 14 douradas. Já em Guadalajara 2011, o salto foi ainda mais significativo: 84 pódios, sendo 24 ouros. Na edição passada, em Toronto, a Colômbia chegou pela primeira vez ao Top 5 do quadro geral, somando 27 medalhas de ouro entre as 72 conquistadas. “A nossa briga fica do segundo ao quarto lugar, com ressalva ao crescimento da Colômbia”, confirmou o chefe da missão Marco La Porta.

O dirigente destacou ainda as condições oferecidas para favorecer o desempenho dos brasileiros. “A estrutura está muito bem montada para dar a possiblidade ao atleta de ter o maior apoio possível para se preocupar só com a performance”, ressaltou. “Nosso primeiro objetivo em Lima é a classificação para Tóquio. Os Jogos Olímpicos são o principal evento do calendário. Queremos o maior número possível de vagas. Sabemos que em algumas modalidades conseguimos essas classificações no Pan”, comentou.

“O segundo objetivo é perceber a evolução dos resultados. Algumas modalidades ainda não têm a realidade de disputar medalhas olímpicas. Aqui é a chance de mostrar que o trabalho está evoluindo para que um dia possa chegar a uma medalha nos Jogos Olímpicos”, acrescentou Marco La Porta.

 Marco La Porta é o chefe da missão brasileira em Lima. Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.brMarco La Porta é o chefe da missão brasileira em Lima. Foto: Abelardo Mendes Jr/ rededoesporte.gov.br

O COB destacou ainda a intenção de oferecer a experiência em um evento multiesportivo aos atletas, sobretudo aos de modalidades recém ingressadas no programa dos Jogos Olímpicos. “O Brasil carrega um conceito na formação da equipe trazendo ao Pan todos os atletas que obtiveram condições de participação, que foram elegíveis. Não existe processo seletivo em cima dos atletas já classificados, independentemente do potencial de alcance de medalha ou não”, ponderou. Para os dirigentes, a vivência da competição pode preparar os novos atletas para edições olímpicas.

Dos 485 brasileiros em Lima, 249 são homens (51,34%) e 236, mulheres (48,66%), o que reforça a busca pela igualdade de gênero nos eventos. A comissão técnica acredita ainda que o país conquiste mais medalhas na segunda semana dos Jogos Pan-Americanos, quando haverá a disputa de 36 modalidades, 10 a mais do que na semana inicial.

Investimento federal Entre os brasileiros inscritos no Pan, mais de 300 são contemplados pelo programa Bolsa Atleta do governo federal. O investimento é de R$ 14,6 milhões ao ano. Em termos percentuais, 70% dos atletas de modalidades que atualmente figuram no programa dos Jogos Olímpicos recebem o incentivo da Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania.

Galeria de fotos (disponíveis em alta resolução; uso editorial gratuito)

Jogos Pan-Americanos Lima 2019

Ana Cláudia Felizola e Breno Barros, de Lima, no Peru – rededoesporte.gov.br