Notícias

Esporte escolar

Comitê Paralímpico divulga regulamento das Paralimpíadas Escolares 2020

publicado: 02/03/2020 14h36, última modificação: 02/03/2020 14h36
Evento é considerado um dos maiores do mundo para crianças com deficiência em idade escolar

O Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB) divulgou nesta segunda-feira (2.03) o regulamento das Paralimpíadas Escolares 2020. O evento será realizado de 23 a 28 de novembro no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo.

 

Paralimpíadas Escolares reuniram, em 2019, mais de 1.200 atletas, de todas as Unidades Federativas. Foto: Gustavo Cunha/ rededoesporte.gov.br


As Paralimpíadas Escolares tiveram a primeira edição em 2009 e apresentaram crescimento gradativo. Atualmente, o evento é considerado o maior do mundo para crianças com deficiência em idade escolar. No ano passado, mais de 1.200 atletas participaram da competição que reuniu representantes de todos os estados e do Distrito Federal.


Vários talentos consagrados já passaram pelas Paralimpíadas Escolares, como os velocistas Alan Fonteles, ouro em Londres 2012, Verônica Hipólito, prata nos Jogos Rio 2016, e Petrúcio Ferreira, atual recordista mundial nos 100m (classe T47). Também engrossam a lista de ídolos que passaram pelo evento o nadador Talisson Glock, prata nos Jogos Rio 2016, o jogador de goalball Leomon Moreno, prata no Jogos de Londres e bronze no Rio 2016 e a mesatenista Bruna Alexandre, bronze duas vezes na Rio 2016.


Estrutura


Inaugurado em 23 de maio de 2016, o Centro de Treinamento Paralímpico de São Paulo ocupa uma área de 95 mil metros quadrados e conta com estrutura completa para a prática dos esportes do programa paralímpico. A piscina coberta tem dimensões olímpicas e arquibancada para mil torcedores. O ginásio multiuso é usado frequentemente para goaball, basquete em cadeira de rodas, vôlei sentado e badminton. Há campos de futebol de cinco (para deficientes visuais) e de futebol de sete (paralisados cerebrais).

 

CT Paralímpico conta com estrutura completa para a prática de modalidades do programa paralímpico. Foto: Gustavo Cunha/ rededoesporte.gov.br


O atletismo tem à disposição uma pista de Certificação 1 da Federação Internacional de Atletismo e arquibancada para mil torcedores, além de pista indoor para aquecimento. Completam a estrutura as quadras de tênis em cadeiras de rodas, os espaços para bocha, judô, tênis de mesa, halterofilismo e taekwondo, além dos setores academia, ciência esportiva, fisioterapia e regeneração física. O alojamento reúne 86 apartamentos adaptados e capacidade para quase 300 hóspedes simultaneamente.


O investimento total no espaço foi de R$ 305 milhões, com 187 milhões do então Ministério do Esporte e o restante do governo de São Paulo. A gestão é feita pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). Em 2020, o espaço prevê a realização de mais de 200 eventos


Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro