Notícias

Vôlei de Praia

Dupla do Comando Militar do Planalto leva o título do Campeonato de Vôlei de Praia do Exército

publicado: 30/11/2019 00h12, última modificação: 13/12/2019 18h47
Dezesseis duplas de oito comandos militares participaram na cidade do Rio de Janeiro do Campeonato de Vôlei de Praia do Exército
30112019_volei_praia-700x466.jpeg

Foto: Taís Rocha/Min. Cidadania

Com a participação de 16 duplas, de oito comandos militares de área, o Campeonato de Vôlei de Praia do Exército foi encerrado nesta sexta-feira (29.11), no Centro de Capacitação Física do Exército (CCFEx), na Urca (Rio de Janeiro), após cinco dias de partidas. O secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Décio Brasil, participou da solenidade de encerramento do torneio e entregou o troféu à dupla campeã, formada pelo soldado Felipe Pereira e o tenente-coronel Jorge André Ferreira, do Comando Militar do Planalto (Brasília).

 

"Esses campeonatos rápidos e pontuais possibilitam que a gente faça essa festa de integração. Parabéns a todos pelo esforço, aos comandos militares de área, que se empenharam em se apresentar muito bem no Rio de Janeiro", afirmou, destacando ainda a relevância do CCFEx. "Este local serviu de história para a educação física brasileira, e vocês têm o privilégio de frequentar aqui e participar de uma competição, usufruindo das instalações que foram feitas com bastante carinho para proporcionar que o esporte seja realizado no mais alto nível", acrescentou.

 

30112019_volei_praia-700x466.jpeg
Foto: Taís Rocha/Min. Cidadania

 

Formado na Escola de Educação Física do Exército, Décio Brasil teve diversas passagens pelo Centro. Em 2000, foi vice-presidente da Comissão de Desportos do Exército (CDE), e em 2011 foi o responsável pela ligação do CCFEx com o Comitê de Planejamento Operacional (CPO) para a organização dos Jogos Mundiais Militares. Como chefe do CCFEx, cargo que ocupou de 2013 a 2016, firmou parceria com a FIFA para que a seleção inglesa utilizasse as instalações do local como centro de treinamento para a Copa do Mundo de 2014. Em outra parceria, com o Comitê Olímpico do Brasil (COB), fez do Centro a base de treinamento do Time Brasil para os Jogos Olímpicos Rio 2016.

 

O general André Allão, presidente da CDE, também parabenizou os atletas e ressaltou as conquistas dos militares ao longo deste ano. "Foi a última competição prevista para 2019, um ano repleto de realizações, não só pelas competições que organizamos, mas também em vitórias expressivas nos Jogos Mundiais Militares, na China", lembrou. No mês passado, o Brasil conquistou o terceiro lugar geral em Wuhan, com 88 medalhas na contabilidade oficial da organização, sendo 21 ouros, 31 pratas e 36 bronzes.

 

O novato e o veterano

 

Além do troféu de campeão, o soldado Felipe Pereira levou ainda o de melhor jogador do torneio de vôlei de praia. "Foi uma experiência muito boa. É muito bom representar o Exército e competir aqui dentro. Foi melhor ainda por estar com um veterano, que é o coronel Jorge André, uma pessoa sensacional, e saber que eu representei bem a minha organização militar", comemorou o atleta de 20 anos, que ingressou apenas neste ano nas Forças Armadas.

 

A relação com o vôlei, contudo, é mais antiga. Desde os 12 anos jogando em quadras na cidade de Itabuna (BA), Felipe teve a oportunidade de morar em Brasília em 2017, após receber uma proposta para jogar vôlei de praia. "Fui tendo resultados, até que recebi o convite para entrar no Exército em 2018. Eu sempre quis a carreira militar", contou. "Agora almejo passos maiores. Penso em tentar futuramente uma vaga na CDE, porque eles focam no atleta de alto rendimento. Desde que cheguei em Brasília, meu plano é ser atleta de alto rendimento de vôlei de praia e ser reconhecido nacionalmente", projetou.

 

Já com a carreira mais consolidada, o tenente-coronel Jorge André, de 43 anos, comemorou a parceria com Felipe e o título. "O esporte é um exemplo de vida, de superação. Ele une as pessoas e traz ensinamentos que agregam para a vida, para a gente se desenvolver como pessoa. A gente vai ficando velho, e ver os garotos novos, despontando, nos traz boas recordações e nos motiva para que a gente se mantenha em atividade", comentou. "A maioria desses meninos não era nem nascida quando eu treinava aqui. A primeira competição que eu disputei aqui foi em 1995", relembrou.

 

A prata da competição ficou com o Comando Militar do Sudeste, e o bronze foi para o Comando Militar do Sul.

 

Ana Cláudia Felizola – Ministério da Cidadania