Notícias

NOTÍCIAS

Em Assunção, Brasil conquista recorde de medalhas na natação em Jogos Sul-Americanos Escolares

publicado: 05/12/2019 20h58, última modificação: 09/12/2019 18h22

O Brasil subiu ao pódio em todas as 24 provas de natação disputadas nos Jogos Sul-Americanos Escolares, em Assunção, no Paraguai. Das 64 medalhas em disputa na modalidade, 39 ficaram com o Brasil: 19 ouros, dez pratas e dez bronzes. O número representa um resultado recorde na história da participação brasileira nos Jogos. Em 2018, em Arequipa, no Peru, foram conquistadas 12 medalhas na modalidade.

 

De acordo com o delegado da equipe de natação, Alexandre Pussieldi, as condições da competição foram boas, com o evento bem organizado. "Os melhores nadadores do país, de 12 a 14 anos, que estão na escola, estão aqui", explicou. "Temos uma grande representatividade nacional aqui. São 16 atletas de dez estados", comemorou.

 

49174160582_b312d3d4e0_h.jpg
Foto: Matheus Bacellar / Ministério da Cidadania

 

O Brasil contou com atletas em todas as finais, masculinas e femininas, nesta quinta-feira (05.12): 100m costas, 50m borboleta e revezamento 4x50m medley. A pernambucana Beatriz Bezerra, 13 anos, e o carioca João Pierre, 14, foram os destaques neste último dia de competições da modalidade.

 

Beatriz garantiu vaga na final dos 50m borboleta ainda pela manhã, com um tempo excepcional para sua idade: 27s88 (o recorde sul-americano na prova é de 25s85, da brasileira Daynara Costa há dez anos). Na noite, a pernambucana confirmou o favoritismo, baixou o tempo para 27s67 e faturou sua terceira medalha de ouro. "Eu não esperava esse resultado. Tento me esforçar todos os dias para alcançar bons tempos", revelou a atleta.

 

49173450673_a033267cfc_b.jpg
Foto: Matheus Bacellar / Ministério da Cidadania

 

O multimedalhista da competição, João Pierre, conquistou a quinta medalha de ouro no revezamento 4x50 medley. "O resultado é fruto da dedicação que tenho ano inteiro treinando", contou, surpreso com o desempenho nos Jogos. Nadador do Fluminense, Pierre tem como ídolo o norte-americano Caeleb Dressel, que conquistou seis medalhas de ouro no último Mundial, disputado na Coreia do Sul. "Quero nadar um dia ao lado dele", revelou.

 

Andrea Cordeiro, de Assunção, Paraguai
Ascom – Ministério da Cidadania