Notícias

Jogos Escolares da Juventude

Em busca de talentos, observadores estão em Blumenau para conhecer promessas do esporte

publicado: 18/11/2019 09h28, última modificação: 17/12/2019 19h03

Treinadores e coordenadores das categorias de base de 12 confederações esportivas confirmaram presença nos Jogos Escolares da Juventude de Blumenau 2019. Ao longo das próximas duas semanas, os 17 Observadores terão trabalho intenso, já que o objetivo do COB é estabelecer um modelo para a detecção de talentos e desenvolvimento da base nacional.

 

18112019_judo-700x466.jpg
Jogos Escolares são vistos como fonte de fomento do alto rendimento nos próximos anos. Foto: COB

 

"Convidamos formalmente treinadores das seleções de base, membros de comissões técnicas e outros profissionais para observar a competição. Provavelmente, parte da equipe brasileira que vai disputar os Jogos Pan-Americanos Santiago 2023 e os Jogos Olímpicos Paris 2024 está aqui em Blumenau. Temos que pensar sempre à frente", afirmou o gerente executivo de Desenvolvimento Esportivo do COB, Kenji Saito.

 

No ano passado, os Jogos Escolares foram decisivos para os técnicos da seleção brasileira sub-18 de judô, Marcus Fabio Agostinho (feminina) e Douglas Potrich (masculina), convocarem os atletas. No Mundial de Almaty (Cazaquistão), disputado no último mês de setembro, os quatro medalhistas do país – Laura Soken, Anna Belém, Sarah Souza e Matheus Pereira – haviam participado da edição de Natal 2018 e oito judocas da equipe estão em Blumenau.

 

"Essa competição tem o mesmo valor de um campeonato nacional. É uma oportunidade de observar os campeões de todos os estados", disse Agostinho, de 39 anos. "Outro aspecto interessante é a aplicação de ações diretas com os treinadores, estreitando o relacionamento. Selecionamos ainda alguns conteúdos que apontam as principais deficiências dos atletas brasileiros em relação aos estrangeiros", explicou Potrich.

 

z17112019_infografico-700x990.jpg

 

Wrestling

 

Treinador-chefe do wrestling brasileiro, o cubano Ángel Torres Aldama, e o coordenador de seleções da CBW, Flavio Cabral, são outros dois que já estão em Blumenau. Em 2019, a modalidade verá a estreia do estilo greco-romano nos Jogos Escolares. No ano passado, Aldama e Cabral realizaram treinamentos com professores para ensinar as técnicas da modalidade olímpica do esporte que faltava no programa da maior competição escolar do país.

 

"Neste ano faremos dois treinamentos conjuntos com os atletas, nos dias 18 e 19. A ideia é transmitir conhecimento aos atletas e, principalmente, aos treinadores, que poderão difundir as técnicas em seus estados. O wrestling está crescendo a cada ano graças a eventos como os Jogos Escolares", afirmou Cabral, que já apontou alguns destaques: "O mato-grossense Guilherme Porto, atual campeão pan-americano, de 17 anos; a Rosa Monalisa Rodrigues, de Atalaia do Norte (Amazonas), que foi medalha de bronze no Mundial escolar; e o Jemerson Moura dos Santos, prata nos Jogos Sul-americanos da Juventude Santiago 2017".

 

Na natação, quem estará presente é o medalhista de prata nos Jogos Olímpicos Los Angeles 1984, campeão mundial em 1982 e detentor de sete medalhas em Jogos Pan-americanos, Ricardo Prado, agora diretor de Desenvolvimento da CBDA. Já no handebol, a Observadora será a tricampeã dos Jogos Pan-americanos Lucila Vianna, que começou a jogar no Colégio Estadual Antônio da Silva, no bairro de Morro Agudo, em Nova Iguaçu (RJ). Ela defendeu as cores verde e amarela por 16 anos, dez deles como capitã e atualmente trabalha na detecção de talentos do handebol brasileiro.

 

Fonte: Comitê Olímpico do Brasil