Notícias

Paralimpíadas Escolares 2019

Maior edição das Paralimpíadas Escolares tem início nesta terça, 19.11, em São Paulo

publicado: 18/11/2019 17h37, última modificação: 17/12/2019 19h05

A 13ª edição das Paralimpíadas Escolares tem início nesta terça-feira, 19.11, em São Paulo, com a participação de mais de 1.220 estudantes. Esta será a maior edição do evento, que contará com a presença de representantes dos 26 estados e do Distrito Federal. A cerimônia de abertura será a partir das 19h30 (de Brasília) desta terça, no Pavilhão Oeste de Exposições do Anhembi. O Secretário Especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Décio Brasil, estará presente.

 

46001898141_22e735df25_k-700x466.jpg
Foto: CPB

 

A partir da manhã de quarta-feira, 20.11, as disputas serão no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. A unidade da federação com o maior número de inscritos é São Paulo, com 128 atletas. O estado é o mais vitorioso da competição, com sete títulos no total: 2006, 2009, 2011, 2015, 2016, 2017 e 2018.

 

A primeira vez que todos as unidades da federação foram representadas aconteceu em 2014. Ao todo, mais de 2 mil pessoas estão inscritas entre atletas e comissão técnica. Este é o maior número de pessoas participantes do evento.

 

"Este ano é um marco na história das Paralímpiadas Escolares, pois temos o maior número de atletas, treinadores, acompanhantes e estafes de todos os tempos, além de termos representantes de todas as unidades da federação. Aumentamos o número de modalidades, incluímos o parabadminton e fechamos com 12. Podemos atribuir este número tão expressivo a outros eventos, como o Festival Paralímpico, as competições regionais das modalidades e os centros de referência. Isso estimula o movimento paralímpico", disse o coordenador de Desporto Escolar do CPB, Ramon Pereira.

 

As Paralimpíadas Escolares são consideradas o maior evento do mundo para pessoas com deficiência em idade escolar. Neste ano, serão 12 modalidades: atletismo, basquete em cadeira de rodas (formato 3x3), bocha, futebol de 5 (para cegos), futebol de 7 (para paralisados cerebrais), goalball, judô, natação, parabadminton, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas e vôlei sentado. A faixa etária contemplada para as disputas é de 12 a 17 anos.

 

Além da briga por medalhas, a coordenação técnica do Comitê Paralímpico Brasileiro avaliará os atletas para selecionar os participantes do Camping Escolar Paralímpico 2019, projeto que promove semanas de treinamento intensivo e de alto rendimento para os contemplados.

 

Talentos do paradesporto brasileiro já passaram pelas Escolares, como os velocistas Alan Fonteles, ouro em Londres 2012, Verônica Hipólito, prata no Rio 2016, e Petrúcio Ferreira, recordista mundial nos 100m (classe T47); o nadador Talisson Glock, prata no Rio 2016; o jogador de goalball Leomon Moreno, prata no Jogos de Londres e bronze no Rio 2016; a mesa-tenista Bruna Alexandre, bronze no Rio 2016, entre outros.

 

Fonte: Comitê Paralímpico Brasileiro