Notícias

Badminton

Medalhista Olímpica e técnica da seleção de badminton transmitem conhecimentos sobre a modalidade

publicado: 20/11/2018 00h00, última modificação: 09/01/2020 18h01
BADMIST_wr_19_11_18_287.jpg

Dois atletas de destaque no cenário nacional do badminton e a técnica da seleção júnior ministraram uma palestra para todos os participantes da modalidade nos Jogos Escolares da Juventude, na noite desta segunda-feira (19.11), no ginásio da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal. Jaqueline Lima, Willian Guimarães e a treinadora Norma Teotonio Rodrigues contaram um pouco das suas histórias e conquistas no esporte para os jovens atletas e técnicos de todos os estados participantes da maior competição escolar do país.

 

Medalha de bronze nos Jogos Olímpicos da Juventude Buenos Aires 2018, Jaqueline Lima começou a se destacar no esporte em 2014, quando conquistou a primeira das três medalhas de ouro nos Jogos Escolares da Juventude. Resultado que alavancou a carreira da promissora atleta, hoje com 16 anos.

 

"Comecei a treinar com oito anos no clube social Joca Claudino. Cresci com o badminton no clube. Passei por muitas dificuldades, mas também tive muitas conquistas. Tive a oportunidade de representar o Brasil em diversos torneios mundo afora e competir com atletas internacionais", disse a estudante da Unidade Escolar Nossa Senhora da Paz, de Teresina (PI).

 

Jaqueline mostrou a medalha aos participantes da clínica, que tiraram fotos e aplaudiram a jovem atleta. Tricampeã pan-americana e oito vezes campeã sul-americana, somando os títulos individuais e de duplas, Jaqueline tem ainda no currículo 15 títulos nacionais.

 

Tricampeão pan-americano sub-17 e bicampeão dos Jogos Escolares da Juventude, em 2015 e 2016, Willian Rodrigues começou a praticar o badminton em 2011 e hoje é o número 1º do ranking brasileiro sub-17. Estudante do Colégio Estadual Dario Vellozo, de Toledo (PR), Willian começou no esporte por meio de um projeto social chamado Ação Social São Vicente de Paulo, que hoje atende mais de 300 crianças e adolescentes, a maioria de famílias carentes.

 

"Quero dar as boas vindas aos atletas que disputam os Jogos Escolares pela primeira vez e dizer a todos vocês para não desistir nunca dos seus sonhos. Espero encontrar muitos de vocês treinando com a seleção brasileira júnior lá em Teresina, no próximo ano. Comecei a treinar num projeto social em Toledo, na minha cidade. Desde então não parei mais de jogar. Por causa do esporte fiz muitos amigos e conheci vários lugares", disse Willian, que ainda soma três títulos sul-americanos na carreira e dez brasileiros.

 

Técnica da seleção júnior, Norma Teotonio Rodrigues considera os Jogos Escolares da Juventude como peça fundamental para o crescimento do esporte de raquete mais rápido do mundo no país.

 

"O badminton no Brasil se divide em antes e depois dos Jogos Escolares. Considero um privilégio estar aqui em nome da Confederação Brasileira como treinadora e professora de educação física. O ano de 2018 foi sensacional para o badminton brasileiro e 2019 já está batendo a porta. A medalha olímpica da Jaqueline começou aqui. Um feito inédito na história do esporte brasileiro", considerou Norma.

 

Os Jogos Escolares da Juventude são organizados pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB), com apoio do Ministério do Esporte e do Grupo Globo, com patrocínio da Coca-Cola e parceria do Governo do Estado do Rio Grande do Norte.

 

Fonte: Comitê Olímpico do Brasil