Notícias

Judô

Secretário Décio Brasil recebe representantes de missão japonesa que veio ensinar judô a professores brasileiros

publicado: 18/02/2020 16h47, última modificação: 20/02/2020 15h12
Projeto, promovido pela Confederação Brasileira de Judô com apoio dos governos brasileiros e do Japão, tem como meta levar o judô às escolas do país como mais uma ferramenta de educação

O secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania, Décio Brasil, recebeu, nesta terça-feira (18.02) uma comitiva formada por integrantes do governo japonês e da Confederação Brasileira de Judô (CBJ). Participaram do encontro Hiroyuki Suziki, primeiro secretário do Departamento de Cultura da Embaixada do Japão; Ryosuke Kimura, integrante do Ministério da Educação, Cultura, Esporte, Ciência e Tecnologia do Japão; o professor Hirotaka Okada, da Universidade de Tsukuba; e Sílvio Acácio Borges, presidente da Confederação Brasileira de Judô (CBJ), além de outros representantes da CBJ.


No dia 12 de fevereiro, o Ministério da Cidadania e o governo japonês assinaram dois termos de cooperação voltados para a promoção de intercâmbios esportivos entre os países. Um dos termos pretende fazer com que o judô seja ensinado nas escolas brasileiras. Foi justamente para reforçar esse trabalho que a comitiva esteve reunida com Décio Brasil.

 

 

Secretário Décio Brasil recebeu representantes de projeto que tem a missão de disseminar o judô em escolas brasileiras. Foto: Francisco Medeiros/ Min. Cidadania


Por meio desse intercâmbio, 25 professores brasileiros já viajaram para o Japão e foram capacitados por professores japoneses. Eles aprenderam a desenvolver no Brasil uma técnica de aprendizado capaz de levar aos estudantes os princípios filosóficos e educativos do judô, sempre zelando pela segurança das crianças e jovens no sentido de evitar lesões e de contribuir para um desenvolvimento pleno dos alunos.


"Essa é uma iniciativa muito importante da CBJ e tem todo o nosso apoio", ressaltou Décio Brasil. "Esse tipo de ação só irá trazer bons frutos para nossos estudantes, pois o judô tem em si várias lições e valores que certamente irão contribuir para a formação de nossas crianças", prosseguiu o secretário.

 

"Esse tipo de ação só irá trazer bons frutos para nossos estudantes, pois o judô tem em si várias lições e valores que certamente irão contribuir para a formação de nossas crianças"

Décio Brasil, secretário especial do Esporte do Ministério da Cidadania

Além de levar professores brasileiros ao Japão, a parceria traz equipes japonesas para trabalharem no Brasil. Um desses grupos, formado por três profissionais, desembarcou no país no dia 12 de fevereiro e retorna ao Japão nesta quarta-feira (19.02), depois de promover workshops no Brasil.


"Viemos, primeiramente, agradecer pela secretaria ter abraçado essa parceria que temos com o Japão, com o Ministério da Educação do Japão e com o projeto dos Jogos Olímpicos de 2020, que trata do judô nas escolas. Estamos indo para o quarto ano do projeto em que levamos professores ao Japão e fazemos uma especialização com eles para a difusão dentro de nosso país de uma cultura pedagógica do judô", explicou Sílvio Acácio Borges.


"Com a proximidade da realização das Olimpíadas, nossa preocupação era a de que esse projeto viesse a terminar. Então, buscamos junto aos governos japonês e brasileiro que essa ação tivesse continuidade e ela está avançando a passos largos com os memorandos que foram assinados na semana passada entre o Ministério da Cidadania e a Embaixada do Japão. Isso nos deixa felizes. Foi muito bom o secretário ter recebido essa missão que veio do Japão para promover os workshops aqui", completou o presidente da CBJ.


O judô é a modalidade individual que mais medalhas deu ao Brasil na história dos Jogos Olímpicos, com 22 pódios: quatro ouros, três pratas e 15 bronzes. Apesar de ser conhecido como o país do futebol, o Brasil é a nação com o maior número de judocas no mundo.

Cooperação Japão-Brasil


Ciente desses dados, o professor Hirotaka Okada também ressaltou sua alegria por contribuir para que o judô possa ser trabalhado também nas escolas. "Fico feliz por ver que um país como o Brasil, que tem força em grandes competições como as Olimpíadas, esteja, também, tendo a oportunidade de introduzir o judô na educação de suas crianças. Essa é a verdadeira meta de Jigoro Kano (fundador da arte marcial do judô) e fico na torcida para que esse projeto seja cada vez mais um sucesso".

 

Ascom - Ministério da Cidadania